Câmara homenageia Pai Wladimir Kabila de Carvalho com Cartão de Prata

por adm publicado 20/02/2020 13h18, última modificação 20/02/2020 13h18
Honraria foi concedida por projeto do vereador Pelé da Cândida
Câmara homenageia Pai Wladimir Kabila de Carvalho com Cartão de Prata

Crédito foto: Ricardo Migliorini.

Por Charles Nisz

Uma relação com a espiritualidade surgida desde os seis anos de idade, manifestada por meio de problemas de saúde. O pequeno Wladimir sofria com desmaios constantes não tratáveis pela medicina tradicional - só uma benzedeira conseguia reestabelecer seu bem-estar.

Segundo dona Lindaura, a benzedeira, Wladimir, tinha o dom da mediunidade e deveria ser iniciado no candomblé. Por conta da contrariedade da sua família, de origem católica, o menino continuou lutando contra os problemas de saúde até os 13 anos de idade, quando foi iniciado na religião africana no dia 19 de fevereiro de 1970, dia de aniversário de Osasco.

Essa trajetória, iniciada há exatos 50 anos foi homenageada na noite dessa terça-feira (18) pela Câmara Municipal de Osasco com a entrega de um Cartão de Prata no Plenário Tiradentes. A homenagem foi proposta pelo vereador Pelé da Cândida (PSC) pelo decreto legislativo 43/2020.

José Carlos Vido, chefe de gabinete do prefeito de Osasco parabenizou Pai Kabila pela honraria: “Um descendente de italianos e portugueses que exerce liderança numa religião de matriz africana. É um cidadão nascido em Osasco, que leva o nome da cidade aos quatro cantos do mundo e nos enche de orgulho”.

Pelé da Cândida, proponente da homenagem, ressaltou a ligação de Pai Kabila com a cidade de Osasco: “Dizer parabéns é pouco. 50 anos de trabalho não são 50 dias e essa homenagem proposta pela Câmara é apenas um grão de areia diante de todo o trabalho já feito por você por nossa cidade”

O vereador Toniolo (PCdoB), secretário da Sessão Solene, ressaltou a relação com Pai Kabila e Pelé da Cândida: “Ambos foram muito importantes na minha carreira política e nessa jornada pude conhecer mais sobre os dois e sobre o dia a dia do candomblé. A trajetória de Pai Kabila se confunde com a trajetória de Osasco - nesta quarta (19), Osasco completa 58 anos e Pai Kabila tem 50 anos de trabalho e luta pelas religiões de matrizes africana”.

Simone de Carvalho, ressaltou a necessidade de respeitar a diversidade religiosa: “É muito difícil pensar que, em pleno ano de 2020, ainda precisemos relembrar o artigo V da Constituição Federal e que a liberdade de culto é assunto de âmbito pessoal e é garantida por lei”.

Renato Sanches, da Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/Osasco, também prestigiou a Sessão Solene em homenagem ao pai Kabila: “Devemos lutar pela liberdade religiosa em todos os segmentos da nossa sociedade”. Em sua fala, Sanches anunciou a criação do Fórum Inter-religioso de Osasco, com o intuito de mapear a diversidade religiosa e facilitar a criação de políticas públicas nesse intuito. 

Ao final da sessão, Pai Kabila agradeceu a homenagem, ressaltando que a luta contra a intolerância religiosa prosseguirá e que ela não ocorre apenas contra os negros: “Os brancos também são vítimas de intolerância no candomblé. Minha luta está chegando ao fim e agora é a vez da geração que hoje tem 20 anos continuar esse trabalho”.

registrado em:
error while rendering plone.comments