Caju e Castanha recebem Placa Comemorativa do Legislativo osasquense

por adm publicado 19/11/2019 18h40, última modificação 19/11/2019 18h47
Solenidade foi marcada pela presença de fãs da dupla e muita emoção

Por Deniele Simões

Conhecida por levar, aos quatro cantos do Brasil, elementos da cultura nordestina como o repente, o cordel e a embolada, a dupla Caju e Castanha foi homenageada pelo Poder Legislativo osasquense na noite desta segunda-feira (18).

Os artistas foram agraciados com uma Placa Comemorativa – honraria concedida a associações, entidades, fundações e instituições que prestam relevantes serviços à comunidade osasquense.

O proponente da homenagem, vereador De Paula (PSDB), escolheu a dupla para a concessão da honraria em reconhecimento à contribuição que a dupla tem dado ao desenvolvimento cultural de Osasco e região, por meio do trabalho com repente, embolada e cordel.

“A cidade de Osasco reconhece o trabalho de vocês com muito carinho e muito amor. Que o exemplo maravilhoso de vocês possa ser usado na vida de todos que estão aqui”, disse o parlamentar.

A solenidade

A sessão solene foi marcada pela presença de muitos fãs da dupla, que foram à Câmara para levar o seu carinho aos artistas. Também participaram da cerimônia, artistas, jornalistas e radialistas que atuam no meio musical e têm ligação com a literatura de cordel.

A mesa de trabalhos foi composta pelo vereador Pelé da Cândida (PSC), que presidiu a sessão, pelo vereador De Paula, secretário da sessão, pelo chefe de Gabinete do prefeito Rogério Lins, José Carlos Vido, e pelos homenageados.

Os vereadores Cláudio da Locadora (PV), Tinha Di Ferreira (PTB) e Dra. Régia (PDT) também participaram da solenidade.

A sessão foi iniciada com uma apresentação de cordel do cantor, compositor e cordelista Luiz Wilson, que contou a história da dupla Caju e Castanha, desde as primeiras apresentações, em Jaboatão dos Guararapes (PE), até a consagração, em meados da década de 1990.

A tribuna foi usada por muitas personalidades da música, como o cantor Cristiano Pipow, o compositor Paulo Nascimento, os radialistas Léo Miranda e José Teodoro.

A dupla

Caju e Castanha juntaram-se ainda nos anos 1970, em Jaboatão dos Guararapes, pelos irmãos José Albertino da Silva (Caju) e José Roberto da Silva (Castanha).

Em 1979, os dois foram para São Paulo e começaram a se apresentar nas ruas. Em 1981, gravaram o primeiro LP.

Aos poucos, foram conquistando sucesso nas rádios locais, até obterem sucesso em nível nacional, no ano de 1993.

Em 2001, José Albertino faleceu e o sobrinho Ricardo Alves da Silva passou a integrar a nova formação da dupla, sendo chamado de Cajuzinho.

Em 44 anos, Caju e Castanha conquistaram a simpatia de milhares de fãs em todo o Brasil, receberam prêmios de reconhecimento nacionais e internacionais, e continuam trabalhando para levar a cultura nordestina a todo o mundo.

A Placa Comemorativa entregue pela Câmara Municipal de Osasco, por meio do Decreto Legislativo 34/2019, foi recebida com muita alegria pela dupla.

“Estou sem palavras para descrever a emoção. Só Deus para fazer tudo isso na vida da dupla Caju e Castanha”, disse Cajuzinho.

José Roberto, o Castanha, usou a tribuna por mais tempo e relembrou histórias do início da dupla, quando chegaram a morar embaixo de um viaduto, em São Paulo, e fatos mais recentes, como os programas radiofônicos que apresentam hoje.

Castanha atribuiu o sucesso a Deus e encorajou os artistas que estão começando a nunca desistirem de seus sonhos. “Quando você honra a Deus, não tem medo de nada e nada vai lhe parar. Esse é o segredo do sucesso”, finalizou o repentista.

error while rendering plone.comments