Audiência Pública discute mudanças no controle de zoonoses na cidade

por adm publicado 13/12/2019 18h55, última modificação 16/12/2019 17h58
Reunião debateu prevenção e controle de doenças causadas por animais

Por Charles Nisz

Detalhar estratégias de combate a doenças como dengue e febre amarela e explicar a separação dos temas de bem-estar animal e zoonoses. Esses foram alguns dos temas discutidos na audiência pública realizada nesta quinta-feira (12) na Câmara Municipal de Osasco. A audiência foi proposta pela vereadora Ana Paula Rossi (PL).

Segundo Ana Paula, houve um pedido para separar a área de Controle de Zoonoses do Departamento de Bem-Estar Animal. Esta última foi incorporada à Secretaria do Meio Ambiente e a área de Controle de Zoonoses ficou sob o âmbito da Secretaria de Saúde.

Ademar Lima, diretor do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), defende a separação dos setores, “pois isso ajuda a definir melhor as atribuições de cada um deles”. Já Magda Pedroso, também do DVS, explicou que o foco do setor de Zoonoses é combater as doenças transmitidas por animais.

Magda explicou as especificidades do trabalho durante a sua fala: “As políticas do setor precisam ser bem planejadas e demandam ações inter-secretariais. Há um aspecto ligado à educação quando falamos na prevenção de zoonoses. Esses animais precisam de quatro ‘As’ - abrigo, alimento, acesso e água – para propagar essas doenças”, explanou ela.

Para tornar efetivos a prevenção e o controle dessas zoonoses, a cidade de Osasco também realiza ações conjuntas de manejo de lixo e de fiscalização. Isso só é possível com o trabalho de outras secretarias, como a de Educação.

Entre as ações elencadas, estão visitas a escolas e empresas, bem como um teatro de fantoches. “Crianças são excelentes multiplicadores, pois espalham informações para toda família”, diz Magda. No total, 450 mil pessoas foram atingidas.

Outro âmbito do Controle de Zoonoses está na articulação de políticas com as esferas estadual e federal, com auxílio do SUS. Um exemplo disso é a vacinação contra a raiva em cães e gatos, explicou Magda.

Já a veterinária Ana Carolina Catan falou sobre a necessidade de limpeza de terrenos vazios e mesmo de imóveis ocupados: “Onde tem barata, tem escorpião e o acúmulo de lixo favorece o aparecimento desses animais venenosos”. Segundo Ana Carolina, o controle de pragas depende muito do manejo do ambiente.

Também foram discutidas ações de combate à dengue. De acordo com Josefa Silva, do Núcleo de Controle de Dengue, só a nebulização com veneno contra os mosquitos não resolve o problema. “O aspecto mais importante é a eliminação dos focos do mosquito e evitar o acúmulo de água parada”.

Assista à audiência na íntegra:

error while rendering plone.comments