Audiência debate políticas públicas municipais

por adm publicado 21/05/2019 20h41, última modificação 21/05/2019 20h41
Evento foi realizado pela Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família

A Câmara Municipal de Osasco realizou na última quinta-feira (16) uma audiência pública para discutir as políticas públicas do município. O encontro foi realizado pela Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, a pedido da Diocese de Osasco.

De acordo com o Padre Alexandre Garcia, coordenador do Setor de Pastorais Sociais da diocese, o objetivo da solicitação foi ajudar a população “a conhecer corno são formuladas e aplicadas as políticas públicas, despertando a consciência e incentivando a participação do cidadão na construção de políticas públicas em âmbito municipal”.

Políticas públicas são os programas, ações e decisões tomadas pelo governo (seja ele federal, estadual ou municipal) com o objetivo de assegurar algum direito para a população. Por exemplo: quando o Estado fornece atendimento médico, educação gratuita ou transporte coletivo para a população, está realizando políticas públicas.

O evento contou com a participação de vereadores, gestores públicos, lideranças religiosas e membros da sociedade civil organizada.

O primeiro orador da noite foi o bispo diocesano de Osasco, João Bosco de Souza, que lembrou que a participação do povo na formulação e implementação das políticas públicas é o tema deste ano da Campanha da Fraternidade, promovida pela Confederação dos Bispos do Brasil (CNBB).

Para o sacerdote, o papel da igreja na discussão sobre os assuntos que dizem respeito a toda a sociedade – ou seja, na política –, é importante e encontra respaldo na própria vida de Cristo.

“Jesus não morreu de velho, não morreu de doença: ele foi assassinado. A oposição que ele enfrentou aconteceu justamente porque ele foi capaz de plantar a ideia da fraternidade. A fraternidade continua sendo revolucionária, profética”, declarou o Bispo.

Em seguida, a coordenadora institucional da Associação Comunitária Nossa Senhora do Carmo (Anoscar), Ana Paula Harada, fez uma apresentação sobre o tema, convidando o público a refletir sobre o que é uma boa política pública e qual o papel de cada cidadão na construção e implementação dessas ações.

“É necessário, dentro do exercício da cidadania, [que] você também se importe com o que acontece dentro do seu município”, afirmou Harada. “É muito difícil quando a gente só reclama e não participa, não se integra, não está envolvido.”

Na mesma linha, o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, vereador Rogério Santos (PODE), lamentou que parte do eleitorado adote uma postura passiva em relação às políticas públicas, sem tomar a iniciativa de se organizar para tentar melhorar os serviços fornecidos pelo Estado.

“Sem uma participação efetiva de toda a sociedade, cada um no seu posto, não se construirá uma sociedade diferente”, disse o parlamentar.

A vereadora Dra. Régia (PDT) concordou com os oradores anteriores sobre a importância da participação popular. Na opinião da parlamentar, o esvaziamento da esfera pública é uma tendência dos dias atuais.

"Fomos perdendo essa coisa da coletividade e viramos muito materialistas. O que está nos matando é o nosso egoísmo. A gente perdeu aquela afetividade, até por causa das tecnologias, da TV, do rádio, celular, redes sociais. A gente perdeu o afeto para com o outro”, lamentou a pedetista.

Também presente, o vereador Ralfi (PODE) deu os parabéns a todos os presentes pelo debate e especialmente à Frente Parlamentar, que tem realizado diversos eventos nos últimos tempos – como o I Seminário Municipal sobre a Família.

error while rendering plone.comments